(11) 4013 2338 | (11) 99236 1445

clinica@landsman.com.br

Logo da clínica Lands Man

ARTIGOS COM DICAS
E CUIDADOS PRA VOCÊ


AMINOÁCIDOS

 
Aminoácidos são os nutrientes mais antigos que existem na face da Terra. Eles têm desempenhado um papel fundamental na existência da vida, desde os tempos dos seres vivos mais primitivos até o estágio presente de evolução, marcado pelo aparecimento do ser humano.
 
Os aminoácidos desempenham diversas funções importantes do corpo e servem como material constituinte das células, hormônios e enzimas.
 
Formam inportantes neurotransmissores e neuromoduladores:
*triptofano-----------------serotonina e melatonina
*fenilalanina--------------dopamina e noradrenalina
*tirosina-------------------metabólito da fenilalanina, participa da formação da dopamina e da noradrenalina.
*histidina------------------histamina
*cisteína e metionina---taurina
*glutamina----------------ácido glutâmico
*ácido glutâmico--------GABA
*asparagina--------------ácido aspártico
*colina---------------------acetilcolina ( nenhuma destas duas substancias é um aminoácido)
 
Na natureza existem cerca de 200 aminoácidos, mas só 21 são metabolizados pelo organismo humano. Entre estes, oito são chamados essencias, isto é, não sendo sintetizados pelo nosso organismo, devem ser fornecidos pelos alimentos. Os 13 produzidos pelo organismo são chamados de não-essenciais.

 

Subdividem-se em dois tipos:


Aminoácidos naturais

 

São aqueles que podem ser produzidos pelo corpo humano.
 
São eles: alanina, arginina, ácido aspártico, aspargina, ácido glutâmico, cistina, cisteína, glicina, glutamina, hidroxiprolina, prolina, serina e tirosina. 

 

Aminoácidos essenciais

 

Os aminoácidos essenciais são aqueles que não podem ser produzidos pelo corpo humano. Dessa forma, somente podemos adquiri-los pela ingestão de alimentos, vegetais ou animais.

 

São eles: leucina, isoleucina, valina, triptofano, metionina, fenilalanina, treonina e lisina (a histidina é um aminoácido essencial na infância). 

 

Cada aminoácido desempenha um papel importante e único no corpo.

 

A dose média para suplementação dos aminoácidos é de 500 mg, em várias doses ao dia. Devem ser ingeridos, meia hora antes das principais refeições. 
 
 
* Valina, Leucina e Isoleucina

 

Estes três aminoácidos, conhecidos como BCAA, são três dos oito aminoácidos essências para o organismo humano.

 

Além das suas condições de aminoácidos essências (o que já denota grande importância) os BCAA’s são os aminoácidos mais importantes para a composição da proteína muscular.

 

Não só pelo papel fundamental, de serem eles peças chaves para a montagem das complicadas estruturas das miofibrilas (proteínas musculares).

 

Pode-se questionar a importância maior da suplementação de outros aminoácidos, mas seguramente há necessidade de suplementação dos BCAA’s para a finalidade de hipertrofia (aumento do volume) muscular.

 

Outro papel fundamental do BCAA, como suplemento, seria no combate ao catabolismo (esse é o processo onde ocorre perda de massa muscular).

 

No processo de queima de proteína muscular nos treinos, os aminoácidos mais utilizados são os BCAA’s e, se houver uma boa demanda na corrente sanguínea (naturalmente, proveniente de suplementação durante os treinos), estes serão utilizados poupando assim a proteína muscular já existente, diminuindo o catabolismo.  

 

A associação destes três aminoácidos também tem sido usada no tratamento de uma doença degenerativa cerebral, a esclerose amiotrófica lateral.

 

 

* Alanina

 

É um aminoácido importante que atua como fonte de energia para o fígado. 

 

° fonte rápida de energia. Auxilia a estabilização do açúcar sanguíneo quando o indivíduo está sob estresse ou em hipoglicemia.

 

Nessas condições, o organismo “queima” o tecido muscular para obter os aminoácidos, entre eles a alanina, para usa-los e elevar o nível de açúcar no sangue.

 

° melhora o metabolismo do álcool.

 

° sua participação é citada na rápida recuperação da fadiga durante os exercícios

 

 

* Ácido aspártico

 

Usado na síndrome da fadiga crônica.

 

Este aminoácido está envolvido no processo de conversão do carboidrato em energia muscular.

 

Sua deficiência provoca um bloqueio na produção da hemoglobina e dos anticorpos dos sistema imunológico orgânico.

 

O ácido aspártico ajuda a expulsar a amônia (que é nociva ao organismo, altamente tóxica) protegendo assim o sistema nervoso central, estrutura mais sensível à presença da amônia.

 

Pesquisas recentes indicam que este ácido talvez seja importante fator para o aumento da resistência à fadiga. Atletas que receberam mais ácido aspártico demonstraram um maior vigor físico e maior resistência ao trabalho físico, em geral.

 

* Arginina

 

Estimula a imunidade, agindo nos linfócitos T e B

 

Este aminoácido é necessário para garantir o funcionamento da glândula pituitária.

 

Junto com a ornitina, a fenilalanina e outras substâncias neuroquímicas, a arginina é necessária para a síntese e a liberação do hormônio do crescimento pela glândula pituitária.

 

A necessidade de arginina é especialmente maior nos homens, pois os fluídos seminais chegam a conter 80% desse componente protéico; sua deficiência pode causar a esterilidade.

 

Também ajuda na metabolização das gorduras armazenadas no organismo e melhora o tônus do tecido muscular.

 

Não se deve associar com a lisina porque elas se   neutralizam.

 

Acelera o processo de cicatrização.

 

Em excesso, pode produzir alterações ósseas e de pele, náuseas e diarréia.

 

Suplementação na forma de L-arginina.

  

* Glutamina e ácido glutâmico
 

São dois aminoácidos intimamente ligados.

 

O ácido glutâmico serve principalmente de combustível para o cérebro.

 

Tem a capacidade de absorver o excesso de amônia, que pode inibir um melhor desempenho cerebral e converte-la em glutamina.

 

Como glutamina, produz acentuada elevação do teor de ácido glutâmico.

 

A falta do ácido glutâmico na dieta pode causar a carência da glutamina no cérebro. Acredita- se que a glutamina possa “aumentar a capacidade intelectual” (Quociente de Inteligência) em crianças mentalmente deficientes.

 

A glutamina ajuda no combate ao alcoolismo (diminui o desejo pelo álcool, principalmente nos indivíduos que tem esta dependência ) e à impotência.

 

Acelera a cicatrização das feridas, alívia a fadiga, atenua a depressão, reduz os riscos a infecções.

 

Últimamente vem sendo usada com sucesso no tratamento da esquizofrenia.

 

* Prolina

 

É o principal componente do “colágeno”, que constitui a pele e outros tecidos.

 

Atua como fonte rápida de energia.

 

° é um aminoácido facilmente usado como fonte de energia para o organismo.

 

° é um dos NMF´s ( Fator Natural de Hidratação) mais importantes para retenção da umidade no estrato córneo da pele.

 

Desempenha papel predominante na formação do tecido conjuntivo e é também substância importante no suprimento da energia muscular.
 
* Cisteína e Cistina 
 

Cistina é a denominação dada à formação estável do aminoácido sulfurado cisteína, importante nutriente “antienvelhecimento”.

 

O organismo promove continuamente a conversão de cistina em cisteína e vice-versa, conforme suas necessidades, e ambas podem ser consideradas, no processo metabólico, como um único aminoácido.

 

Quando metabolizada, a cistina fornece o ácido sulfúrico, que reage com outras substâncias para ajudar a desintoxicar o orgânismo.

 

A cistina contribui com o processo de cicatrização, diminuindo a dor causada pela inflamação e favorece a formação de tecido conjuntivo.

 

Os aminoácidos que contém enxofre, especialmente a cistina e a metionina, são bons protetores contra a toxidade do cobre.

 

A cistina / cisteína ainda pode proteger o organismo de outros metais nocivos e dos radicais livres (sub-produto de treinamento físico extenuante, do fumo e do álcool).

 

É o precursor do glutatione, tripeptideo de alto poder antioxidante, que é formado por selênio, L- cisteína, ác. glutâmico e glicina.

 

Sua deficiência é de ocorrência comum em crianças.

 

Tem efeitos colaterais atribuídos à sua suplementação excessiva, embora não comprovados, como cálculos renais. Pode reduzir a ação da insulina.

 

Em associação com o glutamato monossódico ( utilizado na cozinha oriental) pode tornar-se tóxica, provocando a “síndrome do restaurante chinês”, que tem sintomas como dor de cabeça, sensações de dormência, náuseas e desorientação.

 

* Treonina
 

È um dos aminoácidos desintoxicadores, ajudando a prevenir o acúmulo de gordura no fígado ( esteatose hepática).

 

È também um importante componente do colágeno.
 

* Metionina  

 

Este aminoácido contém enxofre.

 

Tem importante efeito quelante, podendo se ligar a diferentes metais pesados e retira-los dos órgãos, mobilizando-os para onde não sejam nocivos.

 

Forma adrenalina na presença de magnésio.

 

Suplementação na forma de s-adenosil-metionina.

 

A metionina, em alguns casos, ajuda no tratamento da esquizofrenia, baixando o teor sanguíneo da histidina que pode induzir o cérebro a transmitir mensagens erradas.

 

Junto com a colina e o acido fólico, a metionina oferece proteção contra a incidência de certos tumores.

 

A insuficiência de metionina pode inutilizar a capacidade orgânica de processar a urina, o que causa edema (inchaço devido à retenção de líquidos nos tecidos) e susceptibilidade às infecções.

 

A deficiência de metionina em animais de laboratórios foi relacionada a depósito de colesterol, aterosclerose e queda de cabelo.

 

* Histidina

 

É um aminoácido essencial usado para produzir histamina e outros subprodutos. 

 

É pouco conhecido; alguns pesquisadores tem usado a L- Histidina no tratamento da artrite reumatóide por sua ação imunomoduladora, com bons resultados.

 

Também especula-se sua ação na atividade osteomuscular.

 

É um aminoácido essencial para bebês e crianças.

 

Juntamente com o hormônio do crescimento, é vital para o crescimento do tecido conjuntivo e importante para a produção de células vermelhas e brancas no sangue, sendo por isso, muito usado no tratamento de anemia.

 

* Fenilalanina

 

A fenilalanina é um aminoácido que age, essencialmente, como neurotransmissor ( substância química que transmite sinais entre as células nervosas do cérebro).

 

No organismo, ela se transforma em noroepinefrina e dopamina, transmissores de excitação que promovem a acuidade e a vitalidade das funções cerebrais: estimulam a memória, o sentido de alerta e o aprendizado.

 

A Fenilalanina é importante na formação do colágeno, importante fibroproteina encontrada em todo corpo humano.

 

Ajuda ainda a reduzir a fome, a aumentar o interesse sexual e aliviar a depressão.

 

É importante no controle da obesidade pois promove a saciedade e tem efeito termogênico.

 

Pode ser utilizada como analgésico

É administrada na forma de L-fenilalanina.

 

* Taurina

 

Tem importante atividade no sistema nervoso, podendo ser usada em pacientes como tiques nervosos, alterações neurológicas faciais.
 

Pode potencializar o sistema imunológico e auxiliar no controle das crises de enxaqueca.

 

Suplementação na forma de L- Taurina.

 

* Tirosina

 

É usado para produzir diversos aminoácidos úteis e é chamado aminoácido aromático, junto com a fenilalanina e o triptofano.  

 

É um neurotransmissor importante, devido ao papel que desempenha na estimulação e na modificação da atividade cerebral.

 

Para que a fenilalanina, por exemplo, seja eficaz como euforizante e inibidor de apetite, ela precisa antes ser convertida em tirosina. Quando não ocorre essa conversão (seja por falta de enzimas que fazem esta conversão, seja por excesso de fenilalanina no organismo) a quantidade de norepinefrina produzida pelo cérebro será insuficiente e ocorrerá a depressão.

 

Estudos clínicos comprovaram que pacientes que tomaram tirosina puderam diminuir as doses de anfetaminas em algumas semanas.

 

A tirosina tem também ajudado os dependentes químicos (particularmente da cocaína) a livrarem-se do hábito sem posterior depressão, fadiga ou extrema irritabilidade.

 

* Triptofano

 

É um aminoácido essencial usado pelo cérebro.

 

Junto com a Vitamina B6, a Niacina e o Magnésio, produz a Serotonina, um neurotransmissor necessário para a formação de um  neurotransmissor, a serotonina.

 

A serotonina é responsável pela felicidade, bom humor, reduz a ansiedade e tensão, aumenta a tolerância à dor, induz à saciedade e ao sono natural.

 

Alivia perturbações secundárias aos processos químicos do organismo relacionados ao álcool.

  

*Asparagina
 

É um aminoácido envolvido no ciclo do ácido tricarboxílico (local de geração de energia) junto com o ácido aspártico. 

 

* Glicina

 

Parece ser útil em pessoas com hiperatividade cerebral, onde ocorrem movimentos espásticos.

 

É usado para produção da glutationa e da porfirina (componente da hemoglobina). 

 

Ainda que seja considerada como o mais simples dos aminoácidos, a glicina oferece benefícios importantes ao organismo humano.

 

Mostrou- se útil no tratamento do mau funcionamento da glândula pituitária e, como fornece creatina adicional, é indispensável para a formação dos músculos.

 

É eficaz também no tratamento da distrofia muscular progressiva.

 

Muitos médicos nutrólogos usam a glicina no tratamento da hipoglicemia. A glicina estimula a liberação do glucagon (hormônio que mobiliza o glicogênio armazenado no fígado, liberando a glicose).

 

É eficaz no tratamento da hiperacidez gástrica, fazendo parte da composição de muitos antiácidos. Tem sido usada nos tratamentos de certos tipos de acidose (baixo pH sanguíneo), especialmente a que é causada por desequilíbrio da própria leucina ( que provoca odor desagradável do corpo e do hálito).

 

* Serina

 

É usado para produção de fosfolipídios e ácido glicérico.  

 

Importante para a produção da energia celular e da formação de acetilcolina, a serina é o moderador químico predominante no cérebro; auxilia a memorização e nas funções do sistema nervoso.

 

* Carnitina
 

É um dipeptideo formado por dois aminoácidos: metionina e lisina.

 

Tem duas principais funções:

 

° carregar gordura no interior das células para usa-la como fonte de energia; é precursora da gordura marrom, o que auxilia no tratamento da obesidade.

 

° estimula a atividade contrátil do coração; indicada em portadores de insuficiência cardíaca, associada à coenzima Q10 como fonte de energia.

 

* Ornitina

 

A ornitina, ao lado da arginina, é um aminoácido envolvido na liberação do hormônio de crescimento (GH), processo que ocorre durante o sono.

 

Ao mesmo tempo fornece energia, ajuda a emagrecer porque enquanto alguns hormônios estimulam a armazenar gordura, o hormônio de crescimento age como mobilizador dessa gordura.

 

A ornitina estimula ainda a secreção da insulina, auxiliando-a no papel de hormônio anabólico, ou seja, formador de músculos. Daí o aumento do seu consumo entre os fisiculturistas.

 

* Lisina

 

É um aminoácido essencial, vital para a formação de proteínas muito importantes.

 

Baixos níveis de lisina, podem causar uma diminuição na velocidade da síntese protéica, afetando o desenvolvimento dos músculos e do tecido conjuntivo e facilitando a infecção pelos vírus, como o do herpes simples.

 

Auxilia também, a capacidade de concentração e ocorre tem ação em alguns casos de infertilidade.

 

Colabora para que os ácidos graxos sejam adequadamente utilizados na produção de energia.
 
* Creatina
 
É uma substancia derivada dos aminoácidos glicina, metionina e arginina; é produzida no fígado, pâncreas e rins.
 
São fontes naturais, as carnes e peixes; para 1 kg de carne, consome-se 5 gramas de creatina.
 
É armazenada nos músculos, livre ou ligada a uma molécula de fosfato.
 
Sua função é ser uma fonte de energia imediata para o trabalho de contração muscular, durante exercícios físicos anaeróbicos, de curta duração ou grande intensidade como corridas e levantamento de peso.
 
Outra função é neutralizar moléculas que se formam no exercício físico e que são responsáveis pela fadiga muscular.
 
Ajuda a manter sua força máxima por um período mais

Acompanhe nas redes sociais